Qual o preço justo a pagar por grãos de café ?

 Após desenvolver seu paladar, você vai descobrir que existem diversos tipos de café diferentes e, principalmente, com preços variados. Desde os grãos de café mais baratos até aos mais caros do mundo, esses valores podem variar sobremaneira.

            E então você vai se perguntar quanto vale a pena pagar pelos grãos de café que você compra. É claro que a resposta a essa pergunta varia de acordo com o seu orçamento e com outras despesas que você tem, com seus planos, suas prioridades na vida.

grãos de café

Mas se entre as suas prioridades tiver viver experiências únicas e apreciar as pequenas coisas da vida, você vai entender que comprar grãos de café diferenciados também faz parte dessas experiências.

            Selecionamos alguns fatores a serem considerados quando você se perguntar “quanto devo pagar pelos meus grãos de café?”.

Produtores, pequenos produtores e cooperativas de café

O Brasil é o maior produtor de café do mundo, responsável por cerca de um terço dessa produção.

            A produção do café tem início com o plantio. Uma muda de café demora cerca de dois anos para começar a produzir, ainda em pequena quantidade. Sua produção é bienal, o que significa que no primeiro ano produz poucos grãos, no segundo produz uma quantidade maior, no terceiro volta a produzir menos e assim por diante.

            Mas as fazendas de café ainda estão muito relacionadas com o trabalho semelhante ao escravo e com o trabalho infantil, especialmente no estado de Minas Gerais, maior produtor do país.

As condições dos trabalhadores das plantações de café são responsáveis pelo aumento da pobreza, do analfabetismo, da evasão escolar e até mesmo da desnutrição no país.

            Muitas crianças trabalham na lavoura das fazendas das próprias famílias, pequenos produtores rurais. Isso faz com que ela acabem se afastando da escola ou tenham rendimento abaixo da média, pois passam todo o horário além do escolar trabalhando.

            Mas esses problemas não ocorrem apenas no Brasil. As Américas do Sul e Central, pelo seu clima propício é onde se produz a maior parte do café mundial e países como a Guatemala, Honduras e Colômbia.

            Entretanto, esse problema ultrapassa as fronteiras do continente americano e atinge países como Índia, Indonésia, Etiópia, dentre outros.

Transporte dos grãos de café

            O valor do transporte e engloba caminhões, galpões para armazenamento e funcionários e embalagens, além de impostos. Esse valor fica entre meio e um por cento do valor da saca de café. O transporte do café verde geralmente é mais barato do que o do café torrado em grãos ou já moído.

Torra dos grãos de café

A torra é o processo mais caro na produção do café.  Também é o processo mais importante, pois influencia diretamente no resultado do produto final e no seu aroma e sabor.

            A torra é feita em um equipamento chamado torrador, e se dá por meio de injeção de ar quente. Os grãos são tostados até quase ficarem queimados e depois de frios há o processo de separação entre as cascas e os grãos propriamente ditos.

Durante essa separação, há um perda de cerca de 30% do produto comprado. Por exemplo, uma saca de 60 quilos de café verde, após torrado, resulta em cerca de 40 quilos de grãos que estarão prontos para a etapa seguinte.

            O processo de torra dos grãos consome cerca de 30% do valor final do produto, e qualquer valor abaixo desse representa prejuízo para os responsáveis por essa etapa.

Moagem e embalagem dos grãos de café

            Após a torra e separação dos grãos, o café pode passar por duas opções. A primeira é a embalagem direta do produto que vai ser vendido na forma de grãos. A outra é moer os grãos em, então, enviá-los para serem embalados.

            Apesar de ter uma etapa a mais no processo de produção, geralmente os cafés vendidos em grãos são mais caros do que os moídos, por sua qualidade superior.

Vale salientar que o processo de embalagem é a vácuo para produtos de consumo interno, sejam eles em grãos ou em pó. Já os produtos que são enviados ao exterior vão em sacas ou a granel.

grãos de café

Distribuição para o exterior

Depois de embalados, os produtos podem ser destinados ao consumo interno ou para exportação e são transportados para as distribuidoras.

            Os produtos enviados para o exterior vão de navio, em contêineres especiais. Esse processo também é responsável por parte do valor do nosso café.

            Os produtos que serão consumidos aqui mesmo no país viajam milhares de quilômetros para todos os centos de distribuição, o que implica em mais um gasto entre meio e um por cento do valor final do produto.

Distribuição para o consumo interno

            Os produtos destinados ao consumo interno são enviados para distribuidoras e de lá são vendidos para os supermercados, padarias e outros estabelecimento, como cafés e restaurantes. Os valores incluídos nessa parte do processo incluem caminhões para transporte, funcionários além, é claro, de impostos, que aliás, são pagos em cada uma dessas etapas.

grãos de café

Venda para o consumidor final

            Como vimos, o processo é longo entre o plantio do café e a sua mesa e passa por várias etapas, que envolvem diversos fatores, diversas empresas e funcionários. E, como vimos no início, quem mais perde durante todo esse processo é o produtor rural, que tem de retorno do seu negócio cerca de um por cento do valor final do produto.

A maior parte do dinheiro da venda do café está concentrada nas duas últimas etapas. Na distribuição para as grandes redes de supermercados e outros estabelecimentos e no lucro dessas empresas, que são as grandes responsáveis pelo valor final aproximadamente 95 vezes maior do que o café verde que deixa o pequeno produtor agrícola ou até mesmo as grandes fazendas cafeeiras.

Como isso altera nossa rotina diária e como podemos mudar essa situação

É muito fácil para nós esquecermos das mazelas do mundo e focarmos apenas nas nossas vidas e quem está ao nosso redor.

            Entretanto, há uma campanha mundial por preços mais justos durante todo o processo de preparação do café. Se você quiser se juntar a essa campanha, a esse esforço, passe a comprar seu café de forma mais consciente,

            Imagine um produto que está na prateleira do seu mercado preferido sendo vendido a pouco menos de dez reais. Geralmente são os mais vendidos, mas será que são os melhores? Ou será que são justamente esses que não respeitam as regras e exploram os pequenos produtores rurais?

            Um bom café produzido de forma correta custa pelo menos trinta, quarenta reais ou muitas vezes mais.

Mas será que o consumidor brasileiro tem condições de encaixar em seu orçamento cafés que custam esse preço? Ou melhor ainda, mesmo que tenha condição financeira, será que o brasileiro quer comprar café a preços elevados?

            Está o povo brasileiro disposto a pagar mais para ter um produto de melhor qualidade, que proporcione a você experiências inesquecíveis e até mesmo ajudem a melhorar a sua saúde? Ou será que é só o preço que importa?

            Ainda, será que temos essa consciência de não comprar produtos que exploram mão de obra escrava e infantil ou para nós o que importa apenas é quanto vamos economizar?

O poder de consumo do ser humano é a sua maior arma, pois é ele quem escolhe quais empresas irão permanecer no mercado e quais irão sucumbir com o tempo. Relativamente ao café, muitas empresas já estão na luta para produzir um café de maneira sustentável e que pague preços justos aos envolvidos em todas as etapas desse processo de produção.

            E o resultado é um produto diferenciado, de alta qualidade e produzido de forma consciente e ética, respeitando a todos, desde quem o planta e colhe, ao motorista do caminhão que entrega e o entregador que distribui para as lojas.

            Mas isso tem um impacto no resultado final do produto, que não sai por menos de cinquenta reais. Mas será que vale a pena pagar tão caro por um café.

Não há dúvida de que você estará consumindo um produto de excelente qualidade. Não há dúvida de que a sua experiência diária de preparar o seu próprio café será ainda mais inesquecível.

            Mas além de se sentir bem consigo mesmo, você deve se sentir bem por estar ajudando a transformar o mundo em um lugar melhor, com menos pobreza e menos desigualdade e, principalmente, onde os trabalhadores do campo se sintam dignos da profissão que exercem e não sejam inferiorizados pelas grandes indústrias.

            Não há nada mais importante do que sua dignidade, do que se sentir um ser humano com direitos e não apenas obrigações.

Artigos Recomendados

Apaixonado por café? Descubra como encontrar o melhor café do mundo!

Apaixonado por café? Descubra como encontrar o melhor café do mundo! Está preparado para descobrir como e onde encontrar o melhor café do mundo? Se você é amante de uma boa xícara de café, definitivamente, …

Descubra tudo sobre o Café Expresso Ristretto

Descubra tudo sobre o café expresso Ristretto Ristretto é um termo italiano que significa “encurtado” ou “estreito”, ou o equivalente a um “café serré” em francês e, podemos considerar que está bebida é um completo oposto …

Aprenda como ler os rótulos da embalagem de café corretamente

Aprenda como ler os rótulos da embalagem de café corretamente Você sabe que o Brasil é um dos maiores consumidores de café do mundo ? E que essa bebida já faz parte do dia a …

Café Descafeinado – Eliminando a Cafeína

Café descafeinado Eliminando a cafeína O café descafeinado é para algumas pessoas uma boa alternativa ao café expresso normal com a particularidade da cafeína ter sido removida. O cafe expresso é uma das bebidas mais …

Descubra o café Macchiato

Descubra o café macchiato Espuma, leite e café expresso. Apenas esses três ingredientes podem formar pelo menos quatro bebidas diferentes, familiares aos consumidores de café em geral. Ingredientes simples que ajustados à perfeição e sabor …

Scroll to Top